Menu

A Fotógrafa


Nasci em Farroupilha, RS em 1º de agosto de 1983. Sou uma leonina persistente e determinada. Sempre tive curiosidade para descobrir como são as coisas para além do que olhos nos permitem ver. Ainda pequena, ganhei um microscópio que logo se transformou num de meus brinquedos favoritos. Adorava me aventurar pelo mundo macro vendo os detalhes das folhas, da pele, das asas dos insetos, dos fios do bigode do meu gato através das lentes do meu microscópio.  Essa busca pelo detalhe se definiu quando me encontrei com a máquina fotográfica e, com o tempo, se encaminhou para a macrofotografia de gotas de água. Não foram poucos os ensaios até eu obter os primeiros resultados interessantes, pois não se tratava apenas de “fotografar gotas” e sim, de utilizar as gotas para despertar sentimentos, percepções e, quem sabe ações.


A técnica


Splash é uma palavra universal usada para imitar o som de um objeto caíndo na água.  A técnica da fotografia de splash está dentro da categoria de macrofotografia em alta velocidade.


Macrofotografia é fotografar algo bem de perto, com uma lente macro, para depois poder ampliar e ver os detalhes. Em muitos casos a proporção do objeto para o sensor da câmera é 1:1 ou seja, o objeto ocupa seu tamanho real no sensor da câmera. Por exemplo, se estivermos falando de uma câmera full frame onde o sensor tem 2,4 x 3,6 cm, nosso enquadramento vai ser desse mesmo tamanho - se estivermos fotografando um inseto de 4 cm, ele não "caberá" na foto nem se a câmera estiver em modo paisagem nem retrato pois nosso enquadramento é de 3,6 cm no maior lado.


Fotografar em alta velocidade significa congelar um movimento por uma fração de segundo e isso é conseguido através de flashes rápidos mais facilmente do que através de velocidade altas do obturador da câmera. Hoje em dia existem câmera que conseguem chegar a uma velocidade de obturador de 1/8.000 seg porém precisa-se de muita luz para conseguir fotografar nessa velocidade. Enquanto que um flash dedicado profissional ajustado para 1/64 da sua potência, tem uma duração de luz de 1/30.000 seg. A capacidade de congelamento do flash é muito maior e muito mais eficaz. Quando maior a potência do flash, mais forte e mais lenta é sua luz. Por exemplo, se usarmos um flash Canon 580EX na potência total 1/1 teremos uma luz muito forte porém lenta (com duração de 1/1.000 seg). Essa luz não é capaz de congelar um movimento muito rápido. Agora, se colocarmos esse mesmo flash na potência 1/64, teremos uma luz fraca, porém rápida (com duração de 1/30.000 seg). Essa duração de luz é capaz de congelar com nitidez uma colisão de duas gotas de água no ar e registrar impressionantes esculturas líquidas originadas desse encontro.

 

Essa técnica permite que se revele ao observador detalhes de um mundo que o rodeia e que o olho humano não é capaz de perceber aumentando assim, sua percepção do mundo.


andrea@andrealaybauer.com